ESCLARECIMENTO

"CANÇÃO DO SONHO ACABADO e outros poemas" Este livro tem uma história... Compus em 1994 um poema chamado "Canção do Sonho Acabado"e recentemente postei na internet; Por algum engano, ele foi atribuído - em vários sites - à Cecília Meirelles, o que muito me lisojeou. No entanto, é importante que as pessoas saibam que é de minha autoria, que tem seus direitos autorais e que foi publicado em 2006 na Antologia Delicatta I. Claro, é o primeiro poema, no meu próprio livro.

AÇÃO DE RECONHECIMENTO DE AUTORIA: link:

Esses livros foram distribuídos pela Secretaria da Cultura do Est. de São Paulo, para as bibliiotecas municipais das cidades de São Paulo e pela Secretaria Municipal da Cultura da cid. de São Paulo para as bibliotecas municipais de São Paulo.

Quem tiver interesse em adquirí-los, pode entrar em contato comigo pelo e-mail: schermm@hotmail.com

Lancei meu segundo livro, "Faces da Alma", em 24 de Novembro de 2012.

ESTE BLOG SE DESTINA AOS AMANTES DA LITERATURA POÉTICA EM TODAS AS SUAS FORMAS E EXPRESSÕES: POESIA, SONETO, CRÔNICA E PROSA POÉTICA.

SEJAM BEM VINDOS A ESTE ESPAÇO, CRIADO COMO UM CANAL DE CONTATO COM TODOS OS SENTIMENTOS HUMANOS.














Seguidores

domingo, 8 de agosto de 2010

sexta-feira, 30 de julho de 2010

PARTINDO (do livro "Canção do Sonho Acabado e outros poemas")




1º LUGAR NO PROJETO ANTOLOGIA DELICCATTA - 2008 E PUBLICADO NESSA COLETÂNEA. PUBLICADO NA COLETÂNEA II FESTIVAL DE SONETOS "CHAVE DE OURO" DA ACADEMIA JACAREHYENSE DE LETRAS.
SERÁ LANÇADO NO DIA 20/AGOSTO/2010, NA 21ª BIENAL DO LIVRO DE SÃO PAULO, MEU LIVRO "CANÇÃO DO SONHO ACABADO", ATRAVÉS DA EDT. ALL PRINT. APÓS A BIENAL, CASO QUEIRA ADQUIRÍ-LO, PROCURE-O NO SITE: www.allprinteditora.com.br

ATAVISMO

HELENITA SCHERMA

Pesa-me às costas as dores do mundo!
Minha tristeza é ininteligível:
sinto um vácuo de perdas, tão incrível,
tal qual caísse num abismo profundo...

Raízes imensas prendem-me a laços
de penas, culpas, dos meus ancestrais.
Remontam cenas imemoriais!
Calcam rastros de sangue nos meus passos!

Saudades vãs e incomensuráveis
cobrem de sombras a minha memória;
e o limbo de angústias inimagináveis

cola-me aos pés, quando quero seguir!
...Sou escrava do tempo e da história,
que o destino me obriga a cumprir.

------------------------------------------

SELECIONADO (e publicado) na coletânea da UNIVAP - 2008 -São José dos Campos

CORAÇÃO

HELENITA SCHERMA

Ah... o coração da gente! Esse coitado
é que, em silêncio, sofre os dissabores
da falsidade humana, os desamores,
e continua a palpitar, calado!

A gente pensa que nada acontece
e que ele continua sempre o mesmo,
mas é engano! Embora bata, a esmo,
com o passar dos anos endurece.

Torna-se rijo, insensível, frio;
não mais padece nem se compadece;
não se alegra nem se entristece...

Não se inquieta mais: fica arredio!
Coração!... Pobre órgão, que arrefece
e vai morrendo, enquanto a gente cresce...!

----------------------------------------------

MENÇÃO HONROSA - 2007 - no II Festival de Sonetos "Chave de Ouro" da Academia Jacarehyense de Letras (publicado)

SER POETA

HELENITA SCHERMA

Ser poeta é ter, constantemente, a alma doente
e fazer desse mal, versos belos,tristonhos,
que comovam quem os lê, deixando-o contente,
povoando sua alma de ilusões e sonhos.

Ser poeta é oferecer o sacrifício pagão
de entregar seu sentimento prá ser editado,
publicado, julgado, comercializado
e passar depois, ao final, de mão em mão.

Ser poeta é despojar-se da sua própria vida
em cada verso, em favor do amor, e amantes
que se identificam com cada despedida...

Ser poeta, no entanto, é ser quase irreal:
- que, enquanto seus amores se tornam distantes,
o poeta procura se tornar imortal!...

------------------------------------------------

MENÇÃO HONROSA - 2006 - no I Festival de Sonetos "Chave de Ouro"da Academia Jacarehyense de Letras (publicado)